Saltar para o conteúdo principal
A carregar Eventos

Feminismo no post #MeToo

Conferência
  Evento passado
19 Maio 2022 (19:00)
Mediateca Institut français du Portugal

Debate sobre o tema “Feminismo no post #MeToo”

entre as professoras e investigadoras Fabienne Brugère e Anália Torres

por ocasião da apresentação do livro

Le peuple des femmes – Un tour du monde féministe

na Mediateca do Institut Français du Portugal

 

Fabienne Brugère é professora de filosofia na Université Paris Lumières. É especializada em estética e filosofia da arte, mas ultimamente tem estado particularmente interessada na teoria e movimentos feministas.

Anália Torres é professora na Universidade de Lisboa onde fundou o CIEG, Centro Interdisciplinar de Estudos de Género do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas. Conduziu pesquisas nas áreas do género, família, relações família-trabalho, pobreza, juventude.

Estas duas personalidades femininas, que partilham afinidades de vários tipos, expressaram o desejo de iniciar e desenvolver um diálogo que poderia conduzir a um trabalho conjunto. A Temporada Portugal-França 2022 marca o início desta colaboração entre as duas investigadoras através de um debate/conferência na Médiathèque do Institut français du Portugal, sobre o tema do movimento feminista de hoje.

O início deste diálogo é a apresentação do último livro de Fabienne Brugère, “Le peuple des femmes – Un tour du monde feministe” (Flammarion), escrito em colaboração com Guillaume Le Blanc, cuja publicação está agendada para fevereiro de 2022. O livro é uma digressão pelas práticas feministas, pelos movimentos feministas no mundo de hoje, quando se apresentam numa forma de emancipação. Destaca também o feminismo do cuidar/care, o ecofeminismo, o queer feminismo, o feminismo depois de #MeToo e a força, hoje em dia, de um feminismo do Sul.

A apresentação do seu livro por Fabienne Brugère dará início a um debate entre as duas personalidades femininas, Fabienne Brugère, do lado francês, e Anália Torres, do lado português, sobre as práticas feministas em ambos os países, mas também no mundo.

Debate de ideias Livro